domingo, 19 de outubro de 2008

Heart of glass.


"Criança ingénua". É assim que alguns me vêem. Obviamente que não me conhecem. Mas eu respeito a opinião de cada um, mesmo que ela magoe.
Ao contrário de vocês, não me considero como tal. Tenho uma explicação muito simples para o facto de me verem desse modo: acima de tudo, tento acreditar no lado bom das pessoas (que infelizmente é cada vez mais diminuto). Acredito que toda a gente o tem e tenho esperança que esse lado bom aumente em cada um de nós.
Por outro lado, por mais erros que uma pessoa cometa, aprendi a perdoá-los porque somos humanos e, queiramos ou não, erramos. Os erros fazem parte do nosso processo evolutivo, assim como a capacidade de perdoar e só um espírito grandioso consegue perdoar. Apesar de tudo, são as irregularidades que fazem de nós o que somos e é quando erramos que mais precisamos daqueles que amamos.
Chamem-me ignorante, idiota, estúpida, infantil, ingénua. Podem fazê-lo, mas não vão mudar a forma como eu vejo as coisas. Prefiro perdoar e viver livremente com o que me rodeia do que guardar rancor com hipocrisia.
Tenho um coração de vidro, é um facto. Ao mínimo toque, corro o risco que se parta. Por isso, aprendi a colar cada pedacinho até que não se notem as cicatrizes, ao invés de deixar as lascas espalhadas pelo chão para que a pessoa que o partiu as calque e se magoe.
Por isto, da próxima vez que me quiserem chamar "criança ingénua", perguntem-se quem tem razão, afinal.

Agora já me podes chamar "criança ingénua".


[Provavelmente acharás que, mais uma vez, estou a dramatizar. Talvez esteja. Admito que esse é um dos meus maiores defeitos. As únicas coisas que não gostei foram o tom agressivo em que me falaste e o facto de estar completamente fora de contexto porque, apesar da dor que me possa causar, gosto que me digam o que pensam com frontalidade. Contudo, não foste a primeira pessoa a dizer-me algo parecido, o que me levou a pensar que talvez tivesses razão. Mas não, não tens. Esse talvez seja um dos aspectos que mais conheço em mim.
Não te preocupes. Eu sei perdoar, lembras-te?]

10 comentários:

David disse...

Criança ingénua? Nunca. Ter coracao de ouro, de vidro ou ser apenas sensivel é uma davida que nao toca a todos, mt menos a qem quer. E preciso ser-se capaz de atingir esse nivel e tu consegues sem duvida. Criança ingenua e aqela que nao ve isso nunca.

Beijo @

corazón disse...

Sim, todos nós temos um lado bom, as diferenças são que alguns o têm maior outros menor, e que alguns acreditam nele e outros não. mas esses, que não acreditam, podem chamar-te a ti ou a mim criança ingénua, mas eles, coitadinhos, que acham que já são adultos, só fazem é figuras tristes.. Esses deviam passar um tempinho com 'crianças ingénuas' que era para ver se aprendiam alguma coisa.

Sun , «3 disse...

Há pessoas que confundem pureza com ingenuidade. É um facto.
Há outras que se aproveitam desta pureza para arrancar vezes sem conta o perdão. Acomodam-se, acostumam-se, sentem-se no direito de ferir ou riscar o coração de vidro, já parcialmente partido, pois sabem, deduzem, concluem que no final de toda saga, serão perdoados.
Bem, quanto a mim, já podem começar a concluir mal.

Querida, sem mesmo, muito bem o que queres dizer.

grande beijo*

Marquinho disse...

Não tenhas medo de errar! Se errares... volta atrás! De certeza que não voltarás a seguir aquele caminho e escolherás outro! Os erros como tu disseste fazem parte de nós e ajudam-nos a crescer! Ajudam a ser o que nós somos hoje!

Acredito que não sejas "criança ingénua" nenhum.. apenas tentas ver o pouco de bom que ainda existe no ser humano e tentas que ele venha ao de cima! Cada vez mais é difícil.. mas à que tentar sempre!

Bom texto* Beijinho

anjo disse...

Olá amiga todos nós erramos não é por sermos crianças que deixamos de errar faz parte da vida errar e há sempre uma crinça dentro de nós ;) vive a vida amiga e não te preocupes com o que dizem vive a tua vida , tem uma boa semana beijos doces

. Rita disse...

E se houvessem mais "crianças ingénuas" como tu... talvez o mundo fosse bem melhor!

Francis disse...

Um texto grande, não em tamanho, mas na alma de quem o escreve.

"Os erros fazem parte do nosso processo evolutivo...só um espírito grandioso consegue perdoar" ADOREI!

Erro e perdão, deveriam andar de mãos dadas, só assim se consegue crescer.
Sabes que mais? Só quem tem coração de vidro consegue sentir, que é um atributo que muita gente não conhece.
Beijinho

A Minha Vida... disse...

Tambem sou ingénua com outras coisas, com as pessoas... perdi a ingenuidade, acho que ja sofri demais na mao delas, fiquei demasiado desconfiada, e agora torna-se dificil abrir o meu coração para seja quem for... ainda mais para um AMor... sabes, isso dá-me que pensar... ás vezes penso que sou ingenua, mas nao deixo transparecer, estou sempre a desconfiar das pessoas e o pior é que as minhas desconfianças acabam sempre por ter razão... fica dificil ter alguem proximo de mim dessa forma, ja me magooei muito, agora sonho com um Amor que me faça Feliz sabes, um Homem, um homem de verdade, ate porque tenho 20 anos mas estou farta de estar rodeada de crianças entendes... o problema é que se esse Homem aparecesse... acho que cansaria de esperar... sonho tanto com isso... mas é tão dificil....
tudo porque quem é ingénuo, acaba por sofrer grandes desilusões... mas se é um defeito, ao mesmo tempo é uma qualidade, temos o dom de ver as coisas como se fosse a primeira vez... gostei de ler, mas nao fiques assim, ao menos essa pessoa fez-te pensar.
Beijinho*

A Minha Vida... disse...

p.s- por outro lado penso que se essa pessoa aparecer, vai saber conhecer-me, vai saber esperar...

Bom fim de semana! =D

João da Silva disse...

Acho que você é mais madura do que muitos de nós, que nos achamos maduros. Ingênua? Acho que é resiliente (em vernáculo), ou stolid, no idioma de Shakespeare. Isso é sabedoria, é profundidade, é intensidade.
Beijos! Muitos!
Shalom